oscar broadcast ’17: perspectivas rápidas sobre os 9 indicados a melhor filme

moonlightÉ claro que esse pot existiria né? E este ano devidamente com todos os indicados a melhor filme vistos! E com mais uma prova do meu vício compulsivo por listas, tá tudo ordenado e numerado por preferência. É claro que eu devia tar falando sobre filmes lindos dessa temporada, como a comédia depalmiana do diretor de Oldboy, do Titanic do Rob Zemeckis, do coming of age da Hailee Steinfield com elenco mais bem cuidado desde o auge do Albert Brooks (sério, vejam The Edge of Seventeen, que filme!), de um filme que consegue ser divertido, ser feminista, ser pop, ser classicista, ser wiccano com o nome de ‘A Bruxa do Amor’, mas estou aqui escrevendo sobre filmes que encerram com músicas da Sia com batida de Bollywood, Ryan Gosling se achando o salvador do jazz, enfim… Louco né? Posso dizer que a exceção dessas duas bombas, ou até incluindo elas, a experiência de ver todos os filmes indicados ao Oscar de melhor filme em uns 5-6 anos não foi de tudo mal — aliás, acho que mais do que em todos os meus outros anos como ‘cinéfilo’, a junção destes filmes aqui definem todo um momento político dos Estados Unidos. Vejo isso quando até o mais rasteiros entretenimentos da categoria, como o bom Estrelas além do tempo, se tornaram verdadeiras plataformas de discursos sociais, o que eu diria que tem muito mais a ver com o marketing do filme que com o filme de fato. Continuar lendo “oscar broadcast ’17: perspectivas rápidas sobre os 9 indicados a melhor filme”

Anúncios

Oscar broadcast

so, eu acidentalmente assisti todos os filmes indicados a melhor filme menos o regresso (até cheguei a pensar, mas 156min de inarritu pra que minha irmã?) e fiz essas pílulas em uns minutinhos enquanto tento não prestar atenção no tapete vermelho da e! e tô empolgado pro oscar pelo chris rock e a potencial vitória do stallone. e aqui vai meu top rápido dos indicados. espero esquecer de metade desses filmes a partir de amanhã.

1) ponte de espiões | steven spielberg <3 spielberg <3

2) mad max fury road | george miller outro filme mais velho da temporada, que eu admiro e respeito e fico feliz onde ele chegou e etc, mas acho que o tempo e o próprio oscar tem acentuado que ele é um bocado overrated. pílula minha dos melhores do ano passado sobre ele não poderia definir melhor o que tanto me agrada tanto num filme desse em si como no seu sucesso.

3) a grande aposta | adam mckay esse com certeza não é o tipo de filme que eu espero que o mckay seja lembrado por, mas não se engane, tem um monte de ideias estilisticamente compatíveis (que obvio, são as melhores dele) com as parcerias dele com o will ferrell e não fazem feio no seu escracho. eu gosto principalmente de como o mckay parece ter consciência de que o filme é limitado e investe bem e separadamente nas suas 3 estórias – nem é que todas deêm certo, mas o horror que é o steve carrell quando quer ter pinta de ator *sério*, p ex, não chega a afetar nada em volta.

4) brooklyn | john crowley como o big short, brooklyn deve ser aquele tipo de filme que só atrai mesmo quem tá interessado no oscar. e também como o big short, esse é um erro infeliz do marketing de ambos os filmes, vez que eles são mais sólidos e eficientes e passam longe de serem acadêmicos como foram vendidos. um romance-melodrama muito bem conduzido, todo correto e muito certo em cada movimento que dá (principalmente a como o diretor explora o período dele, todo econômico, sem exibicionismos e tals). queria que a saorse ronan ganhasse o oscar, pq ela tem uma puta personagem aqui e foi bem longe cada momento dentro dela.

5) spotlight | tom mccarthy 99% informativo, mas aquele 1% de dramaturgia que eu não sei bem donde vem, pra onde vai…

6) o quarto de jack | lenny abrahamson esse filme tem alguns dos piores close-ups que eu vi em algum tempo. sério, todo errado aqui. e tentando impressionar a cada instante, parece até outro filme igualmente ruim dessa temporada (steve jobs). quando chega na cena, aparentemente, mais importante do filme, diretor tenta criar catarse pegando cada elemento que só atesta a mediocridade do negócio, pqp. parece que ele tá filmando um comercial de banco. sério. e eu ainda não entendi qual é a função do pai.

7) perdido em marte | ridley scott se isso fosse um simples filme de encomenda feito por um artesão como um showcase por matt damon, suave que ele seria bem bom. mas é o ridley scott sendo o ridley scott então dá-lhe 2 horas de vc tendo certeza que vai gravar todas as relevantes informações que ele conseguiu da NASA… also a utilização irônica do ABBA aqui também serviu pra irritar um pouco mais.