charli xcx e as narrativas pop

charli-xcx-number-1-angel-mixtape

Voltando lá por 2012, eu tenho péssimas memórias do que a Charli XCX e tudo aquilo que chamaríamos de popstars da internet, como a Grimes e a Sky Ferreira, representavam. Dizia eu que apreciava a ideia do que elas estavam fazendo, mas que nada daquilo chegaria ser um um pop autêntico, definido em si, ou algo assim, simplesmente porque elas eram técnicas demais. Os anos se passaram, a Charli conseguiu alguns hits, virou uma songwriter da indústria, mas por alguma razão, ela não deu realmente certo como uma popstar. Escutando o Number 1 Angel, na verdade, você percebe que ela nunca deixou de ser uma popstar da internet.

Mas entre o que isso representa pra 2012 e o que representa pra 2017 tem um abismo, acho. E aqui no Number 1 Angel a Charli é mais uma nerd de música pop presa num quarto cantarolando algumas musiquinhas que incitam um nostalgia já conhecida dentro do material dela. Não acho que ela queria algo muito diferente disso desde os tempos do teenpop enfeitiçado do True Romance, por exemplo, mas é a primeira em que ela efetivamente me pega por essa diversão — é um ponto de identificação entre nós dois que, agora, eu vejo além das entrevistas coolzonas.

É curioso que essa estética (sim, porquê a única estética que une todo o material da Charli, for real, é essa ambição) chegue tão firme sob o signo dos caras da PC Music, que também representaram o ponto mais baixo da carreira dela ano passado e also são responsáveis por um show de pseudagem numa das correntes estéticas mais pretensamente bestas da minha memória. Number 1 Angel também trabalha com truques de produção parecidos com o do Vroom Vroom, tho. Mas aqui há muito mais um showcase pra toda essa persona da Charli que pra pirotecnia do PC Music, e ela meio que tem um timing certo pra essas beats, pros momentos exatos em que elas soarão over. Pouca coisa aqui sai do controle dos ideais dela.

Anúncios

3 comentários em “charli xcx e as narrativas pop

  1. confesso que fiquei bem surpreso de tu gostar disso,rs. pra mim é tipo a confirmação final de que a charli atira pra todo canto e não sabe nada pra que direção tá atirando. essas intenções que tu ve ai só me fazem ter é nostalgia do true romance, ali sim eu conseguia escutar feliz essa auto indulgencia tipicamente teen, diferentes de explorações e direções inconsequentes que feitas hoje por ela soam tentativas frustradas de ser de novo aquela garota.

    1. o que tu diz sobre o tru romance eu poderia de boas colocar pros primeiros cds da britney, da christina, nsync etc. isso td ai é algo que na verdade eu vejo a charli simular no primeiro disco, não que ela vá conseguir né (spoiler: não acho que ela consiga kk).
      bom a respeito do number 1 angel, acho que hoje ela tem mais consciência do que ela quer e o que ela pode fazer como artista; ela não abandona quase nada do que vem feito desde o início, mas hoje faz com ideias melhores, creio eu.

  2. sobre a charli *atirar pra todos os lados* isso não me incomoda como pode incomodar a muita gente. ela leva a serio o conceito de ‘era’ que muitos stans de musica pop – como ela é – gostam, nada demais..

^-^

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s