mais um dia, mais cds de funk pra se falar sobre

¯\_(ツ)_/¯

mc magrinho – magrinho o rei da putaria
eu conheci o Magrinho através das parcerias com o Nego do Borel, MC Carol e Ludmilla então, ver um disco dele chamado “o rei da putaria” não é exatamente intimidador como ele espera — é um tanto desafiador, pelo calibre dos artistas aos quais ele se associa e dominam o gênero da putaria (spoiler: eu continuo acreditando que o nego é o mvp da putaria atual). mas sim, o garoto é bom de verdade: ele faz uma certa fusão do proibidão + putaria (em alguns versos aqui, as referências a arma e a conduta saltam muito mais), é uma dinâmica ainda muito própria e cara no funk carioca – e exclusiva also – que o hype do funk SP por vezes sufoca. e a habilidade do magrinho como um recortador só faz bem a essa fusão — numa das melhores músicas aqui, romântica é claro, ele para tudo e lembra: SE MEXER COMIGO TOMA NA CARA DE FUZIL. claro, nem tudo é perfeito e há um momento terrivelmente sexista que bem por baixo toda a estética do putaria (o nome já deixa explícito), mas no melhor, é mais uma síntese do que é criatividade no funk carioca de hoje.

mc 2k – 2k
o 2k é o membro, digamos assim, mais apagado da KL. ele tá do lado do mc brinquedo e bin laden, então, a primeira vista — conseguindo a vaga de galã do time + a imagem de mais uma das tantas cópias do tyga/breezy que o funk produz — nada muito surpreendente. mas ele é subestimado quando se torna o mais volúvel, que mais adapta do time (até faixa de pagode ele já gravou). e se a ideia é que ele não seja tão habilidoso liricamente como bin laden/brinquedo (e não o é) ou criativo, meu funk preferido desse ano, “sua bunda treme“, é dele dando sua melhor impressão do funk abstrato. nesse disco o que ele faz de melhor é conservar típicas abordagens que melhor cabem ao seu estilo (também muito típico), mas ele é um artesão; leia-se, sua habilidade aqui é muito flexível com cada uma das parcerias — ele acumula muito da personalidade de cada um. “maconha de uva”, que era meu ‘acontecimento’ favorito de 2014 com toda a turma da KL e ficou de fora do disco do bin laden, está aqui; e é incrível toda essa zona que eles articulam, o tipo de humor incansável e desconcertante que só me faz pensar, como disse certa vez aqui mesmo, num equivalente em forma de música pra pineapple express.

mc pikachu – choque nelas
esse disco foi retirado de todas as plataformas possíveis, assim como tudo que o pikachu lançou até hoje. sim, é bem como se ele nunca tivesse existido. o motivo? é extenso, é cansativo e rende uma discussão que, pra mim, não poderia ser mais fácil: muleques (pré-)adolescentes aproveitando tudo que já aprenderam por aí sobre putaria, e qualquer termo random relacionado, foram pra casa e resolveram transformar em música. assim, da exata forma que você espera de gente dessa idade falando sobre isso, com aquela pinta de novidade, uma autoironia bem fake, etc. nada de condenável, mas paremos por aí. e ao contrário do que aconteceu com o pedrinho pós-dom dom dom, por exemplo, o pikachu não ficou mais nos cacoetes/fetiches do “OLHA UM GAROTO MANDANDO UM FUNK!!!” — pra isso, ele só aproveita naturalmente voz, nas múltiplas tonalidades, o que sempre deixa os versos mais fortes e define melhor sua persona –, ele pega a temática sexual do funk mais seus desdobramentos a torná-la funcional conforme sua personalidade pede. nada muito substancial, mas se afinal, a ideia básica do funk remete a uma simplicidade lírica e mais ligação imediatista com seu conteúdo, na catarse, etc. o pikachu é um mestre.

3 comentários em “mais um dia, mais cds de funk pra se falar sobre”

^-^

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s