John Carpenter’s Prince of Darkness

prince6 prince7 prince8 prince9 prince10 prince11Em John Carpenter podemos confiar que o mal está todo alí representado no plano: como no próprio plot de Prince of Darkness (o demônio precisa dos hospedeiros), o mal também precisa encontrar matéria para tornar-se palpável (e a lembrança com o que eu escrevi no post de melhores do ano sobre The Inkeepers não é mera coincidência). Assim, o hospedeiro do mal para Carpenter é basicamente tudo aquilo que constituiria seu filme: os corpos, o espaço, as luzes, o tempo, as figuras já surgindo míticas – e o que mais impressiona é a honestidade com que ele entrega essa materialização, afinal não é qualquer um dirigindo filme de terror que teria coragem de te afirmar que a surpresinha esquemática está lá no meio do plano (especialmente nos tantos gerais, que há tanta distância escancara aquilo que só um mestre conseguiria fazer sutileza). Enfim, post rápido e com único intuito de lembrar que ontem foi aniversário do Carpenter e ter certeza de que algo deveria ser dito sobre isso, mas fica a lembrança de uma das obras-primas do cara.

princeof

^-^

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s