Joe Dante

Terminada a Mostra, hora de comentar um pouco e fazer o top desse mestre do cinemão americano. Infelizmente, alguns eu deixei de ver: Matinee (que deve ser o que eu mais aguardava) e Piranha (mas este faz pouco tempo que vi, então tá bem fresco na memória). Enquanto isso a exibição de The Twilight Zone e Hollywood Boulevard virou lenda, mas como passou o outro do Allan Arkush onde o Dante também é co-diretor (o medíocre Rock n Roll High School), deu pra fechar um top10 bacana.

Interessante que a maioria desses filmes de Dante, eu já tinha visto na infância. Até tipo, o meio do ano passado, ele não era mais que recordação da Sessão da Tarde, lembrava do Dick Miller e só. É daí que vem as maiores surpresas revendo filmes como Gremlins e The ‘Burbs: eles celebram toda a cultura “de massa” americana (inclua aí os programas domesticados de TV, os filmes de terror/sci-fi B, revista em quadrinhos etc., coisas que Joe Dante venera desde a infância), mas encontrar os inúmeros méritos estético-narrativos deles não tem preço. É notável também que Dante gosta de subverter tudo aquilo que o inspirou, seja quando satiriza os filmes B (em Piranha) ou quando usa da TV como matéria de alienação. Nem os grandes amigos dele passam batido: em Gremlins, Dante cria uma espécie de E.T. pessimista e invertido. Gremlins é, em qualquer sentido, o oposto do filme de Spielberg; mas ainda assim, os dois são próximos; no que diz respeito a experiência.

Falando dos amigos, é difícil falar de Joe Dante hoje em dia sem citar os seus “companheiros” oitentista que em suma maioria cresceram, ou quem não cresce, desaparece. O maior exemplo, já citei aí: Steven Spielberg, mesmo de vez em quando investindo em filmes infanto-juvenis, foi consagrado como diretor maduro. Jonathan Demme é outro que se firmou apenas quando se mudou para um cinema de gênero bem-definido (no caso dele especificamente, isso fez muito mal). Mas Dante persiste com o mesmo cinema, as mesmas intenções, a mesma composição de personagens e, acima de tudo, com a mesma sede em querer sempre mostrar a todos tudo que faz (compare a encenação de Gremlins com a de O Buraco, por exemplo, em ambos há um diretor em plena maturidade). Não é difícil que ele seja mais ridicularizado que bem-quisto, pra falar a verdade, desde sempre que ele não é tão bem aceito pela crítica.

Enfim, mesmo quando erra (e se isso acontece de vez em quando, é porque ele também pode virar refém daquilo que o faz acertar: a sua imaginação), Joe Dante nunca deixa de ser interessante. E vamos lá.

10. Rock ‘n’ Roll High School (direção com Allan Arkush)
idem | 1979 **

9. Viagem Insólita
Innerspace | 1987 **

8. Grito de Horror
The Howling | 1981 ***

7. Piranha
idem | 1978 ***

6. Looney Tunes: De Volta à Ação
Looney Tunes: Back to the Action | 2003 ***

5. O Buraco
The Hole 3D | 2009 ****

4. Gremlins
idem | 1984 ****

3. Meus Vizinhos São um Terror
The ‘Burbs | 1989 ****

2. Gremlins 2: A Nova Geração
Gremlins 2: The New Batch | 1990 *****

1. Pequenos Guerreiros
Small Soldiers | 1998 *****

5 comentários em “Joe Dante”

  1. Passou twilight zone, só q foi só o segmento dele se eu não me engano. Foi até no dia em q ficou passando os médias dele… Mas falo logo q é bem mais divertido ver o do Spielberg e o do Dante depois, parece um fica satirizando o outro heuhueh

  2. ah sim, deve ter sido no dia em que eu achei que só seriam os eps que ele fez pro masters of horror – que eu já vi e achei uma bosta, hehe – né?
    de qualquer forma, outro dia eu baixo etc. to doido pra rever tudo.

^-^

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s